quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013





É de ver até ao fim, este debate entre um comediante e um prémio nóbel da economia é digno de ser visto! Have fun
Pantomineiro Mor

Antonio Guterres e o PIB (1995)



Essa agora, então se o nosso ex-primeiro ministro Guterres não sabe fazer contas, temos que ser nós? Para começar, primeiro-ninistro que se preze deve andar sempre de calculadora do bolso, segundo, se por acaso não a tiver, fica calado e não inventa! Este foi um pantominiero diferente, era o do diálogo com tudo e com todos, até quiçá, objetos inanimados.  Ainda assim, também deu um forte contributo para nos desgraçar, salva-se o facto, de, até à data, não lhe serem conhecidos podres. Nem parece um político!

Pantomineiro Mor

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A pantominocracia nos reality shows: nem para votar servimos


Que as pessoas não sabem votar, as eleições partidárias já nos mostram, mas, até nos reality shows parece que não é nada diferente.
O público não sabe votar e os participantes também não.
As justificativas dos participantes de reality show nas votações:

-Eu voto nessa pessoa por falta de afinidade.
-Porque ele é um forte adversário no jogo.
-Por falta de opção.
-Porque vota em mim.
-Porque destona a harmonia do grupo.
-Como mecanismo de defesa.
-É uma pessoa que não tenho muito convívio.
-Eu me dou bem com todo mundo, mas já que tem que votar em alguém, eu voto no beltrano.
-Eu não tenho em quem votar, por isso voto no sicrano porque sei que ele não será votado.
-Porque já votou em mim outras vezes.
-Eu voto no fulano, porque com ele a beltrana que já foi votada tem mais chances de voltar.
-Porque achei que a sua atitude foi errada.
-Porque é excelente jogador e pode me prejudicar no jogo.

O pontapé do Marco (na Sónia) na primeira edição do Big Brother



Mais nada, não é com uma flôr que o pantomineiro Marco gosta de brindar as mulheres, mas sim com violentos e doces pontapés! Ah que saudades de um reality show a sério, agora é só pieguice!
Agora a sério, feio, muito feio!

Pantomineiro Mor

Pantomineirice na eleição da Miss Portugal



Ora o que os pantomineiros gatos fedorento foram recuperar nos tesourinhos deprimentes! Uma famosa eleição de miss portugal em que humberto bernardo mete os pés antes de desaparecer (quase) para sempre da televisão portuguesa, e não foi porque emigrou! Uma breve nota para o comportamento pouco exemplar de carla caldeira!
Pantomineiro Mor

Apito Dourado: "Fruta para dormir"



Pinto da Costa e o Sr. Araújo em vários telefonemas incluídos no processo do apito dourado! Como é possível não estar no xadrez? Só mesmo numa pantominocracia! Este país nem sempre foi assim!
Pantomineiro Mor

Não é só cá que temos pantomineiros, Itália e Espanha também!


Espanha e Itália, os dois grandes países mais afectados pela crise económica europeia, atravessam uma fase inquietante de apodrecimento da democracia que poderá ter efeitos de contágio imprevisíveis nos restantes países da União, onde, aliás, as consequências políticas corrosivas dessa crise se vinham já fazendo sentir ao longo dos últimos anos.
Em Espanha, a grande maioria dos cidadãos não se reconhece na representação político-partidária, tendência que se agudizou depois das revelações sobre o ‘saco azul’ de pagamentos ilícitos aos dirigentes do partido do Governo, o PP, envolvendo o próprio primeiro-ministro Mariano Rajoy. Apesar dos sucessivos desmentidos oficiais à veracidade dessas revelações, o descrédito que atingiu Rajoy e o seu Governo parece já irremediável, num momento em que a Espanha atravessa a sua maior crise económica e social dos últimos trinta anos.

O PP está literalmente em queda livre, com apenas 23,9% de intenções de voto, mas o PSOE, principal partido da oposição, encontra-se ainda pior, com 23,5%. Ou seja, não existe hoje uma verdadeira alternativa política, enquanto aumenta a probabilidade de uma próxima demissão governamental. E isto acontece no mesmo momento em que as crispações nacionalistas, a partir da Catalunha, ameaçam a unidade do Estado espanhol.

Já em Itália, a inesperada ‘ressurreição’ de Berlusconi poderá pôr em xeque a credibilidade conquistada nos círculos internacionais pela gestão de Mario Monti, além de inviabilizar a alternativa de um Governo de centro-esquerda, sem que os eleitores, fustigados pela austeridade, pareçam dar-se conta de que foi o anterior primeiro-ministro um dos principais responsáveis pelo estado crítico do país.

O programa político de Berlusconi para as eleições deste mês é uma lista onde não falta nenhum ingrediente populista, incluindo a extinção de todos os impostos introduzidos por Monti. Mas como poderá um dos principais países europeus sobreviver a uma nova experiência berlusconiana que tem como objectivo inconfessado garantir a impunidade dos métodos mafiosos e dos escândalos sexuais que levaram o líder da direita à barra dos tribunais? Haverá exemplo mais ostensivo do apodrecimento dos valores da democracia?

Entretanto, em Portugal, a crónica política foi animada nos últimos dias pelo caso Franquelim Alves, antigo gestor da SLN/BPN, nomeado secretário de Estado da Inovação e Empreendedorismo (uma palavra fétiche do ministro Santos Pereira) na última remodelação governamental, em que Passos Coelho insistiu em manter a estrutura minimalista e hipercentralizada do número de ministérios e dissolver a responsabilidade política através da proliferação de secretários de Estado.

Estamos perante mais um episódio paradigmático da cegueira, arrogância e insensibilidade do actual Governo, menosprezando a importância das questões éticas e simbólicas nas suas escolhas políticas. Na comissão parlamentar de inquérito ao BPN, em Março de 2009, ficou pelo menos provado que o novo secretário de Estado não só se atrasou em reportar ao Banco de Portugal as irregularidades detectadas no BPN e no fantasmagórico Banco Insular (levou seis meses a fazê-lo, invocando uma questão de «prudência») como chegou a validar contas do banco que deu origem à maior fraude financeira do pós-25 de Abril.

É certo que Franquelim Alves também confessou que a sua entrada no BPN foi «o grande erro» da sua vida profissional, mas isso não o iliba da forma condescendente como lidou com a extrema gravidade dos factos ocorridos – e que representam um encargo de, pelo menos, mais de 4 mil milhões de euros para os contribuintes.

As duas cartas que enviou ao BdP, em tom totalmente anódino e burocrático, não constituíram – ao contrário do que afirmou o ministro Santos Pereira – um contributo para «desmascarar a fraude do BPN», sobre a qual, aliás, Alves não se pronuncia explicitamente.

Franquelim Alves só saiu do BPN depois da sua nacionalização e porque o novo presidente do banco, Miguel Cadilhe, o terá responsabilizado por não informar oportunamente o BdP sobre a anormalidade gritante da situação herdada. Será por isso que Alves omitiu no seu currículo qualquer referência expressa ao banco fraudulento?

Nada disto foi motivo suficiente para fazer ponderar Santos Pereira e Passos Coelho sobre o bom fundamento da escolha de alguém – embora ‘arrependido’ – que esteve ligado ao BPN para integrar o actual Governo. Não será este outro exemplo de uma democracia apodrecida?

Pantomineiro Mor

Sai da Frente Guedes, ou então vai para a valeta Hélio


O grande Hélio e o seu amigo Guedes! Estes dois pantomineiros não podiam faltar ao nosso lote dos melhores. Para variar, dois que não pertencem à política!

Pantomineiro Mor


Um dia muito especial para Relvas, o bode expiatório do governo


Não chateia. É simplesmente triste ver a canção de Zeca Afonso ser "cantada" como a "cantou" Miguel Relvas. E não se trata de analisar a monumental desafinadela do apaniguado ministro de Pedro Passos Coelho, o primeiro-ministro que, em tempos, confessou que seria "mais feliz se fosse cantor". Uma confissão com que, provavelmente, a maioria dos portugueses estaria hoje tentada a concordar. Até porque, no que toca aos dotes vocais do ministro-adjunto, já quase tudo foi dito. E tudo o que se disse foi 'fait divers'. Cantar fora de tom, como diria o próprio Relvas, "é a vida". E quem não tem cavalo mas insiste em inscrever o jumento no concurso de saltos de hipismo tem a vida que merece. Desafinada, aos solavancos e sem entender o significado de um protesto que usa a canção-senha do 25 de abril como arma.
Também não chateia observar o tom desafiador e o sorriso de cavaleiro solitário com que Relvas encara as manifestações hostis e a forma aparentemente corajosa com que enfrenta quem contra si se indigna. O que chateia verdadeiramente é a arrogância calculista do ministro. Se assim não fosse, Relvas não voltaria a meter-se na boca do lobo um dia depois dos protestos de Gaia. Não é obra do acaso, é premeditação.
Ao aceitar comparecer na comemoração dos 20 anos da TVI, Miguel Relvas estava consciente dos riscos. E não se fala de riscos físicos. Esses, a verificarem-se, assentariam que nem uma luva na busca da vitimização, ao estilo kamikaze, que parece mover o braço direito de Passos Coelho. Trata-se de avaliar os riscos políticos de aparições em noites que, para o ministro, são iguais "a tantas outras". Mas não são.
O todo-poderoso ministro da coligação PSD/CDS apareceu no ISCTE exibindo o mesmo sorriso com que desafinou a "Grândola Vila Morena", mas escoltado por um incomparavelmente maior número de guarda-costas do que em Vila Nova de Gaia, onde defendeu - pasme-se - que "a melhor maneira de ter medo é ter coragem". Durante a récita na peculiar sessão do Clube dos Pensadores, Miguel Relvas foi mais longe ao afirmar que "a pior coisa que um governante pode fazer é amedrontar-se". Ao sair ontem atribuladamente do ISCTE, em Lisboa, sem intervir e rodeado de seguranças, Relvas revelou-se medroso, sem coragem e, desta vez, em direto na TV, sem qualquer filtro. Pelo segundo dia consecutivo, vê-se vaiado em público, impedido de exercer a sua atividade política. Relvas experimenta agora nas ruas aquilo que muitos portugueses, incluindo da classe política - até do seu próprio partido - têm afirmado: o ministro dos Assuntos Parlamentares não tem condições de exercer o cargo. Por muito que, desta vez, um diligente e rápido comunicado governamental tenha deixado claro que o Executivo não se deixará condicionar por protestos como os manifestados no ISCTE. Mas a dúvida mantém-se: um ministro que não tem condições para sair à rua tem condições para governar?

Pantomineiro Mor

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Dias Loureiro e Jorge Coelho juntos em sociedade



Olha olha, Dias Loureiro e Jorge Coelho juntos numa sociedade, no entanto distantes na política, ou será só fachada? Mais dois pantomineiros da política que vale a pena apreciar, em especial o low profile do Coelho, que estará de bolsos cheios! Mas tudo bem, nós pagamos!
Pantomineiro Mor

Barcelona vs Real Madrid 1-1 2013 - Resumo da primeira mão



Hoje é dia de segunda mão da Taça do Rei em Espanha entre o Barça e o Real. Espero que quando começar o jogo estejam por cá no blog. BOM JOGO e que vença o melhor. Até lá fica o resumo da primeira mão. Estes são verdadeiros pantomineiros, mas no bom sentido!
Pantomineiro Mor

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Oliveira e Costa - Um banqueiro no Confessionário III




Oliveira e Costa, deve-nos a todos 4 a 6 mil milhões de euros, ainda ninguém sabe bem, aliás, poucos sabem efetivamente o que um valor dessa ordem de grandeza! Depois do valente entalão que deu aos contribuintes portugueses, ter conversa de doente mental é de facto o único caminho para fugir ao xadrez! Ainda assim, este pantomineiro é apenas o rosto do fartote que foi o BPN para um pequeno grupo de bandalhos que estiveram ao serviço da nação!

Pantomineiro Mor

Pinto da Costa goza com jornalista


Outro grande grupo de pantomineiros está no futebol português! Neste grupo, destaque para o papa pinto da costa, ninguém o conseguiu superar nas últimas décadas, nem com apito dourado ou sem ele! quem dá mais? luis filipe vieira tenta mas não consegue, valentim loureiro é demasiado rude para competir..... ainda vamos falar bastante destes senhores.

Pantomineiro Mor

Vale Azevedo em liberdade durante 14 segundos


Vale e Azevedo, o único pantomineiro que está no xadrez! E ainda assim foi necessário que ele deixasse de ser presidente do benfica. Mas este é de facto uma mpeça e tanto. Óscar da pantominocracia para este sr!

Pantomineiro Mor

BPN: Cavaco é vizinho de Oliveira e Costa no Algarve


Ora cá está, muitos pantominieros juntos fazem uma boa vizinhança. Cavaco e Oliveira e Costa, melhor é impossível! Temos que juntar ainda Eduardo Catroga, entre outros famosos pantomineiros. Uma bela aldeia esta no algarve!

Pantomineiro Mor

Pantominocracia na Assembleia da República


Qual o melhor sítio para concentrar o maior número de pantomineiros? Na assembleia da república claro está! Ao que parece, além de muitas outras coisas, não são muito bons a fazer contas!

Pantomineiro Mor

Marcelo: Passos tem de reconhecer que falhou, persistir é «suicida» | Política | Diário Digital

Marcelo: Passos tem de reconhecer que falhou, persistir é «suicida» | Política | Diário Digital

Que mania que tem o professor pantomineiro de ser o primeiro ministro sombra! Já teve essa possibilidade, mas o tempo dele já passou. POrque não regressar a cabeceiras de basto?

Pantomineiro Mor

As Melhores Gafes na Televisão Portuguesa


Algumas gafes do jornalismo português, sempre saudáveis! Note-se que a presença no vídeo de Marcelo Rebelo de Sousa é recorrente, outro pantomineiro que oscila entre a figura de conselheiro de estado e comentador..... só mesmo na nossa pantominocracia!

Pantomineiro Mor

Algumas frases e gafes famosas dos nossos pantomineiros preferidos


Alguns dos nossos pantomineiros preferidos, no qual se destaca o antigo primeiro ministro José Socrates. Fica um vídeo com muitas gafes e frases que ficarão para a história da pantominocracia.

Pantomineiro Mor

Cavaco Silva: bolo-rei para todos


Uma verdadeira degustação de bolo-rei, agora não se fala enquanto se come, é bem sabido. Cavaco Silva é mais um dos pantomineiros que pertence a este painel, e é bom não nos esquecermos disso, não é sr. presindente da república? Bolo-rei para todos e agora silêncio!

Pantomineiro Mor

O pontapé do Avelino Ferreira Torres


Mais um ilustre pantomineiro da nossa sábia escola, o Avelino Ferreira Torres do Marco de Canaveses. Mas que mania que têm estes bandalhos de estarem sempre à frente de câmaras munincipais!!! Já o mestre Valentim era a mesma coisa! Ainda não dá para andar por aí à biqueirada...... que peça!

Pantominieiro Mor

Letra do Grandola Vila Morena



Bom dia Portugal! E para que os nossos ministros saibam a letra da canção mais popular do momento, deixo a letra completa do Grandola, vila morena. Agora é só afinar!
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Pantomineiro Mor


Agora também com o Governo Sombra e a Mixordia de Temáticas

Quem fica melhor neste blogue do que o Pantomineiro Ricardo Araújo Pereira? A partir de hoje, no Pantominocracia, podes asistir ao último Governo Sombra, em que Ricardo Araújo Pereira comenta a atualidade política juntamente com João Miguel Tavares e Pedro Mexia, bem como a muitas das mixórdias de temáticas, com Ricardo Araújo Pereira em companhia de Vasco Palmeirim, Pedro Ribeiro, Nuno Markl e Vanda Miranda.

Pantomineiro Mor

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Valente Valentim: em Gondomar mandam os gondomarenses


Mais um "cromo" que ultimamente tem andado desaparecido! Depois de tudo o que foi acusado, venceu as eleições para a Câmara de Gondomar! A culpa do nosso país ser uma pantominocracia não é só deles, também é muito nossa!

Pantomineiro Mor

Sousa Cintra parte o vidro do carro


Muito bom! E dizer que este Sr. foi presidente de um grande clube de futebol. Estúpido não é ele por ter atirado a garrafa pela janela quando esta estava fechada, mas apenas por ter atirado uma garrafa pela janela. É certo que já foi há alguns anos, mas de facto em termos de civismo, há muita gente com "coisas" para aprender. Nos dias de hoje vão disfarçando, mas no fundo, lá bem no fundo, este país está cheio de pantominocratas!

Pantomineiro Mor

Um blogue que percorre o caminho da democracia para a pantominocracia

Boa tarde a todos! Um blogue para falar de tudo um pouco, atualidade, desporto, humor, crítica, entre outros porue matérianao falta! E já agora, aproveitem também para ver qualquer coisa em live stream. Vamos falando

Pantomineiro Mor



Peixeirada: Miguel Relvas insultado no Clube dos Pensadores

Mais uma "relvice" para o anuário! Desta vez o nosso Dr. mostrou os seus dotes de cantor, depois de ter uma frequência relampago no coservatório. Com a voz que tem, devem-lhe ter dado algumas equivalências!

Pantomineiro Mor

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
!-- Start of StatCounter Code for Blogger / Blogspot -->