sexta-feira, 9 de maio de 2014

Os meios PACOTES de AÇÚCAR no CAFÉ!



Como grande parte dos portugueses, bebo café. Alinho a coisa com as refeições e de manhã, ao almoço e ao jantar não escapa, é daqueles vícios que ajuda a manter o esqueleto de pé para quem tem uma vidinha com o tempo preenchido, não necessariamente bem! Os cafés da manhã e almoço bebo-os não raras vezes lá na labuta, onde a coisa é mais necessária, pois há que manter a pestana aberta, não só para desempenhar uma razoável performance laboral, mas sobretudo para estar atento à cambada de malta que me quer ficar com o lugar, ou pelos tempos que correm, pela malta que me quer ver no olho da rua, sempre é menos 1 na hora dos cortes de pessoal que vão acontecendo um pouco por todo o lado aqui no burgo tuga.

Mas o tema nem é esse! O tema é mesmo o café! Sempre que pego num copo para tirar café deparo-me com a necessidade de tirar um pacote de açúcar. Há quem diga que o café natura é o melhor, há quem encharque o dito em dois pacotes ou três para comer açúcar com travo de café, os do adoçante, elas preocupadas com a linha, eles mariconços ou gajos do descafeinado com a tensão artérial mínima a roçar os 13 e a máxima a teimar nos 20, e depois os outros, os do meio pacote de café! E esta malta do meio pacote de café é estranha, é o que vos posso dizer! Ponto 1, que os há, lá isso há! Ao lado da máquina de café está sempre um cestinho com os meios pacotes de açúcar não utilizados, mesmo ao lados dos outros, os pacotes inteiros! A ideia parece ótima. Ora se um determinado consumidor de café utiliza meio pacote de açúcar, então guardar a metade não utilizada é uma decisão de quem preza a poupança e não quer desperdícios. O problema é de outra natureza, é que os meios pacotes de açúcar vão aumentando a cada dia que passa até que num determinado dia o cesto faz reset e desaparece tudo, imagino eu que a alguém acabe por espetar com os meios pacotes todos no sítio onde estão os vazios, no lixo.

Pois isto é uma situação que me intriga, porque a mesma malta que guarda o meio pacote de açúcar, na vez seguinte, deveria utilizar a outra metade, mas como os meios pacotes se vão empilhando, está visto que não é isso que acontece! Deduzo que voltem a abrir um pacote de açúcar novinho em folha e a guardar a metade não utilizada no cesto! Qual é a lógica disto???!!! Gente bizarra de facto. Então os meios pacotes que lá vão deixando não servem para eles, mas têm que servir para os outros bebedores de café, pelos vistos os de segunda, que não se importam de utilizar um meio pacote de açúcar já aberto! Pelos vistos, onde eu desempenho as minhas atividades laborais, por vezes apantominadas, aparentemente não há bebedores de café de segunda que se agarrem aos meios pacotes de açúcar já abertos! Talvez noutros sítios seja diferente!

Imagino eu que o dilema seja o seguinte. Do ponto de vista moral, tudo na maior, não se deita açúcar ao lixo, é desperdício. A coisa não corre bem é quando o consumidor de meios pacotes de açúcar regressa e se depara com vários pacotes já abertos sem saber quais são os seus, e pior, se alguém meteu qualquer coisa lá dentro, ou se a quantidade de açúcar que sobrou no pacote é a suficiente para perfazer metade de um pacote de açúcar, aquela quantidade certa para adocicar o café a gosto. Epá, deixo aqui a minha sugestão enquanto….. consumidor de meios pacotes de açúcar no café! Despejo metade do pacote, dobro, regresso ao meu lugar e guardo a minha metade na gaveta! É tão simples quanto isto caraças!!!! Bem sei que o assunto em si provavelmente não merecia tantas linhas de escrita, epá, mas como atitude acho que reflete bem o espírito da natureza humana, vai fazendo a vidinha para ter a consciência tranquila nas aparências, os que a têm, a consciência, epá, e o resto, o resto que se lixe…


Pantomineiro Mor

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
!-- Start of StatCounter Code for Blogger / Blogspot -->